Panetone – Da Itália para o Mundo

O panetone é originalmente um pão doce com fragrância de baunilha e recheado de frutas secas (uvas passas e frutas cristalizadas). Nas últimas décadas, surgiram inúmeras variedades de recheios de panetone como Chocolate (Chocotone), Sorvetone, Trufados, etc.

Como a popularidade do pão cresceu, as pessoas começaram a especular sobre a sua origem, o que resultou em inúmeras histórias.

“Pan de Toni”

Segundo uma das lendas, o panetone foi criado por um jovem milanês, membro da família Atellini, que se apaixonou pela filha de um padeiro chamado Toni.

Para impressionar o pai da moça, o jovem disfarçou-se de ajudante de padeiro e inventou um maravilhoso pão, de rara delicadeza e tamanho incomum para a época, cujo topo foi moldado em forma de cúpula de igreja.

Este novo bolo de frutas fez enorme sucesso e passou a ser chamado de magnífico “Pan de Toni” que evoluiu para o “panattón” (vocábulo milanês), e depois para “panettone” (italiano).

A Sobremesa que Não Deu Certo

Outra lenda diz que o panetone foi inventado na corte de Ludovico, o Mouro, na véspera do Natal, entre os anos de 1494-1500.

Conta a lenda que o Natal era uma grande festa celebrada com grandes banquete e em um dos Natais, a sobremesa que havia sido preparada queimou ao ser assada.

Um dos empregados da cozinha, chamado Antonio, havia preparado uma massa com sobras de ingredientes, que pretendia levar para sua casa. Sem outra opção, ofereceu sua massa para servir como sobremesa para a corte.

De acordo com a lenda, a sobremesa foi tão apreciada que Ludovico perguntou qual o nome da iguaria. O jovem Antonio, chamado para responder a pergunta de Ludovico, disse que a sobremesa não tinha nome. Ludovico resolveu chamá-la de “Pani de Toni”, dando origem ao nome.

Seja qual for a verdadeira origem ou história, o panetone não pode tem espaço garantido nas comemorações do Natal.